CONTEÚDO NEXIALISTAS

Motion Graphics – Como a técnica pode ajudar a transmitir conteúdos para todos os níveis de senioridade de uma empresa

postado em: 05/03/2018

Motion Graphics – Como a técnica pode ajudar a transmitir conteúdos para todos os níveis de senioridade de uma empresa

Você já assistiu ao filme “A Invenção de Hugo Cabret”? Naquele filme, em que era apresentada em escala mundial a genialidade do cineasta francês Georges Méliès (1831-1938), com sua estética muito própria de animação em stop motion, estava uma sementinha do Motion  Graphics, ainda no século XIX!

Hoje, os vídeos em motion graphics after effects representam uma vertente das mais criativas dentro da produção audiovisual, para apresentar ideias complexas com facilidade e custo reduzido. Tem sido amplamente utilizado pelas empresas, inclusive nos setores de RH, também como recurso em trilha de aprendizagem.

A técnica pode ser utilizada em vídeos institucionais, explicativos, marketing, tutoriais, treinamentos, produtos, marketing de conteúdo, e muitas outras finalidades, especialmente porque torna a informação mais memorável.

O que é motion graphics?

Motion design, videografismo, design de animação ou motion graphics, o que é? Para rápida explicação, pode-se dizer que é uma vertente do design gráfico que mescla princípios do cinema e do design.

Atualmente muito utilizado em comerciais de TV, Youtube, publicidade, videoclipes, a técnica audiovisual é muito atrativa e bem eficaz para conteúdos de entendimento complexo, que podem se tornar mais palatáveis por meio de técnicas de storytelling, utilizando ferramentas de narração e elementos visuais como círculos, linhas, retângulos, mapas, textos, setas, ícones e personagens, que se movem na tela com finalidade explicativa.

Para a área de RH, o motion graphics serve como uma maneira prática de apresentar conteúdos em programas de treinamento e desenvolvimento, porque dá vida ao design gráfico por meio da animação, torna o contexto mais leve e proporciona a assimilação mais fácil e rápida.

Para conteúdos empresariais, o motion graphics pode ser criado em 2D ou 3D, com o objetivo de explicar diversos assuntos, desde sistemas de gestão, processos e produtividade, proposta de valores de empresas ou até eficiência de produtos e serviços.

O  céu é o limite para o uso do motion graphics para fins corporativos e nos processos de aprendizagem nas empresas.

via GIPHY

Como fazer motion graphics para empresas?

Os conteúdos dos motion graphics precisam ser concisos, de 30 segundos a 1 minuto e meio. Toda a mensagem precisa ser passada neste intervalo, de forma direta e com simplicidade e clareza. Um motion graphics é uma ferramenta de comunicação poderosa, mas, para que seja eficiente, precisa ser feito sob medida para o público para o qual ele é feito. E cada palavra, cada cor, cada reação precisam ser pensados para este público.

Duas características importantes do motion graphics são pontos que interessam muito às empresas. Diferente de vídeos convencionais, o motion graphics têm custo reduzido e pode ser feito em um prazo bastante curto de realização.

Se a empresa optasse por um vídeo institucional com imagens realistas, precisaria dispor de mais tempo para sequências de gravações internas ou externas, que poderiam ter que se repetir diante de imprevistos e contratação de atores para transmitir as mensagens. O motion graphics permite elaborar uma quantidade muito maior de vídeos, utilizando a mesma verba. E mesmo com custo mais baixo, o impacto de memorização da informação está garantido.

Como criar personagem motion graphics?

É claro que o profissional de RH não precisa ter um curso de motion graphics para pensar em um material de animação com essa técnica, isso ficará a cargo dos profissionais de design gráfico, mas é preciso que definam bem o que querem e precisam para atingir o objetivo de aprendizagem no ambiente corporativo.

Os personagens do motion graphics devem ser criados a partir da mensagem que se quer transmitir ao público-alvo. Se o vídeo é de treinamento, deve ser criado um personagem que represente seus colaboradores, a partir das pesquisas de perfil que já existem no setor de RH, com dados como faixa etária e nível educacional e até dress code da empresa. Considere as características únicas do seu público, ele precisa se sentir representado neste vídeo.

A mensagem deve ser transmitida com uma linguagem e forma que sejam inteligíveis para eles, de forma didática, bem explicativa, mas sem perder a profundidade. Isto não é fácil.  Normalmente, as animações que exemplificam conceitos ajudam no entendimento da mensagem, maximizam a capacidade cerebral de ingerir novas informações e melhoram a memória funcional.

Pense em motion graphics simples, que sejam ferramentas de motivação. Para alguns públicos, conteúdos muito densos, acelerados e com muitos recursos visuais podem confundir o cérebro e provocar o efeito contrário do esperado em um processo de aprendizagem.

Os vídeos em motion graphics podem ter conteúdos com foco específico, fornecendo a possibilidade que os colaboradores reproduzam a animação mais vezes, para revisão do material e melhor absorção. Esses conteúdos podem ser divulgados até mesmo por lista de transmissões corporativas no Mobile. É uma excelente ferramenta para um bom Microlearning.

É evidente que o motion graphic não é o único recurso de aprendizagem usando os elementos audiovisuais, mas invista nele. Conciliar conteúdo certo, mensagem concisa e visualmente atrativa, pode fornecer um meio muito eficaz para a aprendizagem.


VAMOS TOMAR UM CAFÉ?

NEXIALIZE-SE

Q