Quantos líderes você já teve? Quantos classificaria como EXTRAORDINÁRIOS?


Abril 2, 2018 / Artigo

lider extraordinário

Por Anderson Bars

Extraordinário, quantas vezes você utiliza esse adjetivo em seu dia a dia?

Habitualmente, quando dizemos que algo extraordinário ocorreu é porque fomos submetidos a uma experiência realmente fora dos padrões esperados.

Extraordinário é tudo aquilo que foge do comum, que sai do ordinário, está acima da média, encanta, supera e vai além de qualquer expectativa que se tinha em relação a algo.

Quando refletimos sobre o termo extraordinário, percebemos que este é um adjetivo para ser utilizado com cautela, isso se não quisermos parecer entusiastas além da conta em nossa forma de expressão.

Dado o contexto, voltando à provocação do título, quantos dos líderes que tivemos podemos realmente classificar como extraordinários?

Tempos atrás na Nexialistas, quando paramos para fazer essa mesma reflexão, constatamos que colocaríamos poucos líderes com os quais já tivemos contato nessa categoria. Imagino que seus resultados nesse processo reflexivo também não tenham sido muito diferentes.

O questionamento que originou esse artigo e todo o conceito que dele deriva foi o seguinte: Como podemos colaborar com o meio empresarial para a formação de líderes extraordinários, desde o momento em que assumem essa cadeira? O que faz efetivamente um líder que podemos classificar como extraordinário?

Provocados por essas questões, nos pusemos a pensar sobre nossas trajetórias e relembrar de grandes líderes que já tivemos, para mapear as características que tinham em comum líderes que poderíamos classificar como extraordinários.

Quando aprofundamos essa discussão chegamos à conclusão que não podemos generalizar. O que se espera de um líder que atua em esfera estratégica é diferente do que se espera do líder que atua em esfera tática. Enquanto para o primeiro é exigido profundo conhecimento de mercado e capacidade de lidar com cenários diversos, do outro é exigida extrema capacidade de articulação e inspiração, por exemplo.

Pensando nisso, nos propusemos a estudar como acelerar a aprendizagem de um líder tático, tenha ele assumido essa posição há pouco ou esteja próximo de sentar em sua primeira cadeira de liderança.

Em meio a essas discussões, fomos surpreendidos por um filme, que tinha como título a palavra EXTRAORDINÁRIO. Nesse momento pensamos: Vamos entender como o contexto extraordinário é utilizado na obra em questão.

O adjetivo foi utilizado, como título em português, de um Best Seller de Hollywood chamado Wonder. Protagonizado por Jacob Tremblay, que interpretava Auggie Pullman e contracenava com Julia Roberts, Owen Wilson e Sonia Braga, o filme retrata a história de um garoto que nasceu com deformidades faciais, provocadas pela síndrome de Treacher-Collins. A história contextualiza sua ida para a escola pela primeira vez, quando se torna centro das atenções e é constantemente observado por todos. Além disso, o pequeno Auggie encanta a todos pelo seu jeito de ser, daí o uso do adjetivo extraordinário para batizar a obra.

Resguardadas as devidas proporções, façamos o paralelo com os líderes que estão no início de sua trajetória nesta cadeira. Assumir uma primeira liderança não é uma tarefa fácil, principalmente porque as pessoas cotadas para tal posição, habitualmente, registram bom histórico de entregas técnicas, o que não é indício de que o mesmo sucesso ocorrerá ao se assumir uma posição de liderança.

Assumir o desafio de ser líder, é se colocar em uma posição observada por todos de maneira constante, assim como era o personagem Auggie Pullman, o extraordinárdo do filme. Se dedicar a uma posição de liderança é ser desafiado pela organização na qual se atua e manter o mesmo padrão de desempenho anterior, no entanto atuando por intermédio de outras pessoas. Estar nessa posição é ser desafiado pela equipe que se assume, para que você se mostre realmente capaz de agregar valor e ser fonte de inspiração. É ser questionado pelos novos pares sobre suas capacidades. E o principal nesse novo contexto, ser capaz de interpretar e desdobrar a estratégia de sua Organização e entregar resultados.

Convenhamos, não é uma tarefa fácil.

As literaturas a respeito do tema são infinitas. Dentre as mais renomadas, podemos citar Ram Charan, em seu clássico Pipeline da liderança, que se propõe a discutir os novos valores, habilidades e novas formas de lidar com o tempo que o líder necessita adquirir a depender do estágio da liderança em que se encontra. Também podemos citar Dave Ulrich, em sua obra o Código da Liderança, que se propôs a codificar o que os principais pensadores sobre Liderança caracterizam como sendo os principais campos de atuação do líder em uma organização.

No entanto, apesar dessas literaturas renomadas citarem pontos de atenção significativos para um líder, falham em não estabelecer os “comos” da atuação do líder, em especial do novo líder, de maneira clara e objetiva.

Essa é a proposta do novo conceito de Liderança com o qual passará a atuar a Nexialistas, o conceito da Liderança Extraordinária©. Nesse conceito nos propusemos a esclarecer o papel do líder tático de alto desempenho, seja aquele que irá assumir ou assumiu recentemente uma posição de liderança e precisa entender o que efetivamente precisa ser feito para o seu sucesso nessa posição.

O conceito de Liderança Extraordinária© traz como proposta acelerar a aprendizagem de líderes para que sejam capazes de sair da média, de ir além do que se espera, para que rapidamente se tornem capazes de entregar resultados admiráveis para suas Empresas, equilibrando as expectativas de sua Organização, de sua equipe e de seus pares.

Nós dividimos a Liderança Extraordinária© em quatro aspectos: Inspiração, Execução, Articulação e Desenvolvimento. O líder que vai além do que se espera, que é extraordinário, é aquele que consegue lidar com esses quatro fatores de maneira equilibrada e focada.

O nosso objetivo na criação do conceito Liderança Extraordinária©, é o desenvolvimento de líderes táticos, que saibam quais ferramentas utilizar para acelerarem resultados e gerar alta performance, engajamento, colaboração e inovação.

Para nós, o líder extraordinário é aquele capaz de INSPIRAR a todos, por meio da utilização do sonho grande de sua organização, gerando energia positiva em todo o ambiente. É aquele capaz de EXECUTAR o planejamento, com olhar de curto prazo, mas sem perder de vista os objetivos de longo prazo. É aquele capaz de ARTICULAR, estabelecendo vínculos com os mais diversos stakeholders internos e externos para alcance dos objetivos. Por fim, é aquele capaz de DESENVOLVER equipes de alto desempenho, a partir da construção de relações de confiança, comprometimento, conhecimento e significado.

Todas as ferramentas que trazemos a bordo dessa mais nova experiência de aprendizagem da Nexialistas, têm o propósito de desenvolver líderes que sejam capazes de aplicar de maneira racional as mais modernas técnicas de Tomada de Decisão, Inteligência Emocional, Feedback e Coaching, além de permitir ao líder tático ser capaz de interpretar e lidar com os mais diversos mapas mentais, agregando extremo valor para sua equipe e para a sua organização, e, principalmente, gerando resultados.

Essa é a forma da Nexialistas colaborar com o desenvolvimento contínuo de empresas e negócios.

Quer saber mais? Vem falar com a gente…

 

Anderson BarsChief Revolution Officer Nexialistas Consultores, Advogado, sócio fundador da Nexialistas, empresa voltada para Educação Corporativa que, em menos de dois anos, se tornou um dos principais players do mercado no país. Consultor, experiente profissional em gestão, liderança, educação corporativa e aprendizagem em projetos relacionados ao desenvolvimento de pessoas e de negócios. Com 12 anos de atuação, já conduziu programas de liderança e realizou projetos de consultoria em gestão para diversos segmentos, como: T.I., Consumo e Varejo, Telecom, Finanças, Indústria, Saúde e Energia.