CONTEÚDO NEXIALISTAS

Comunicação interna. Hora de trocar o operacional pelo estratégico.

postado em: 11/09/2017

A maioria das organizações corre contra o tempo para se adaptar a era digital. Nenhum setor pode ficar de fora. Se a comunicação interna das empresas quiser continuar relevante para as companhias também terá que se adaptar e promover mudanças.

Em tempos disruptivos no mercado, é preciso abrir o diálogo com os colaboradores para além dos informativos e comunicados impressos. A interlocução com as equipes precisa ser mais estratégica.

Isso é o que revela a pesquisa “Comunicação Interna em 2017.

Executivos de 94 empresas de diferentes setores e segmentos econômicos foram ouvidos no estudo.

Desempenho da Comunicação Interna

Manter os times informados e atualizados sobre o que ocorre nas corporações é a principal função da comunicação interna. Especialmente em momentos de crise de reputação, de acordo com os entrevistados.

Apenas 10% consideram que essa atuação tem protagonismo pouco forte (5%) ou fraco (5%) para as companhias.

No entanto, quando o setor é comparado a outros departamentos ou de acordo com o seu desempenho, essa avaliação muda.

Apenas 28% o classificam como bom. A grande maioria não está nem um pouco satisfeita com as ações e atividades de comunicação com os colaboradores.

gráfico comunicação interna

 

Operacional x Estratégica

Isso ocorre, de acordo com os gestores, porque a área costuma exercer uma função meramente operacional. Atividades que são direcionadas apenas para a produção de materiais ou ferramentas.

Não haveria envolvimento ou destaque ao papel das lideranças no processo comunicativo, assim como iniciativas para engajar os funcionários.

Essa análise pode ser comprovada a partir da caraterísticas de conteúdos que são produzidos hoje nas corporações.

Grafico tipos de informativos

Em um momento em que transparência, ética e comunicação são essenciais a 95% dos executivos, como já destacou o estudo “O que pensam os líderes brasileiros”, ser classificada como pouco eficaz é extremamente preocupante.

A saída para mudar essa imagem junto a presidentes e diretores é, segundo a pesquisa, adotar uma postura mais estratégica. É preciso integrar e alinhar planejamento e ações de acordo com os objetivos do negócio das organizações.

Tal atitude colaboraria para a maior integração entre os times e para que todos “falem a mesma língua”. Outras consequências seriam o aumento da motivação, melhora do clima organizacional e diminuição do turnover, para a felicidade do RH e demais departamentos da empresa.

Envolvimento e integração aos objetivos da empresa

A fim de corresponder ao que se espera do setor, há um movimento de aproximação com a gestão das empresas.

De acordo com 40% dos entrevistados há uma forte tendência que a comunicação interna se envolva cada vez mais nas estratégias da companhia.

No entanto, para 53% dos gestores ainda há resistências nesse processo, com dificuldades em conciliar as necessidades de ambas as áreas.

Outros 7% afirmam que não desempenham tanto, o que reforça ainda mais seu papel de gestores da comunicação interna.

Uma das possíveis causas para essa dificuldade de integração pode estar na fase em que se encontra a comunicação interna nas empresas.

Apenas 20% dos entrevistados considera como bastante desenvolvidas as atuais competências e habilidades do setor.

grafico competencias

 

 

 

Qual o futuro da comunicação interna?

Em uma realidade em que os colabores estão constantemente se atualizando sobre as novidades digitais, é essencial que a comunicação interna também se adapte para não perder o “timing” desse diálogo com as equipes.

Além da já citada necessidade de alinhamento com a estratégia empresarial, apontada por 18% dos entrevistados, a adoção de ferramentas de mídias digitais e do papel do líder como influenciador interno são apontados como as principais tendências para o setor, de acordo com a pesquisa.

Grafico tendencias de comunicação

Figurando como um importante canal de comunicação estão as mídias digitais. E não só para o público externo, mas como forma de aproximar as organizações dos colaboradores. Esse canal também se destaca entre os principais investimentos indicados como primeira opção para o setor.

grafico investimentos comunicação interna

O estudo ainda traz informações sobre a importância do monitoramento da internet e intranet e mensuração das ações do setor. Você pode ter acesso a esses dados baixando o material completo da pesquisa Comunicação Interna em 2017. (((acrescentar link))))

E como anda a comunicação interna da sua empresa? Está preparada para a transformação digital pela qual estamos passando? Compartilhe suas experiências com a gente na caixa de comentários.

Se quiser saber sobre ferramentas que podem ajudar a um diálogo mais estratégico com os colaboradores consulte outros artigos do nosso blog. O uso de imagens e vídeos, por exemplo, é um grande aliado para aumentar o engajamento das equipes, assim como a gamificação.

Fonte: Todos os dados apresentados foram retirados da pesquisa Comunicação Interna em 2017. O estudo foi realizado por Cristina Panella Planejamento e Pesquisa em parceria com a BMI Blue Management Institute, que faz parte do mesmo grupo que a Nexialistas.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar