CONTEÚDO NEXIALISTAS

Business Partner: a conquista de um RH mais estratégico

postado em: 10/19/2017

Ilustração de profissionais business partner

Business Partner: a conquista de um RH mais estratégico

Muito tem se falado sobre Business Partner. Mas você sabe o que ele faz e como pode ajudar a sua empresa a conquistar melhores resultados?

O termo foi criado na década de 80 por Dave Ulrich. Considerado o pai da gestão de pessoas e também autor do livro Human Resource Champions (Recursos Humanos Vencedor).

Segundo Ulrich, para se destacar no mercado as empresas precisariam de um “parceiro” ou “sócio” de negócios. Esse profissional teria um papel fundamental: aproximar o setor de Recursos Humanos da estratégia de negócios da companhia.

Sua visão para a função, embora com mais de 30 anos, está mais do que atual.

Com as rápidas transformações pelas quais o mercado passa, as corporações começaram a enxergar em seus colaboradores um capital inestimável. Valioso e importante para a geração de inovação e ganho de competitividade.

O Business Partner se encaixa como peça chave nesse cenário. É dele a tarefa de fazer com que a gestão de pessoas atenda as necessidades e demandas das organizações.

Ao alinhar a geração, retenção e desenvolvimento de talentos aos objetivos da empresa ele consegue antever tendências. Dessa forma, a companhia pode se preparar para desafios futuros, inclusive nos casos de mudanças de cultura ou processos.

Segundo a consultoria CEB/Gartner, empresas que contam com Business Partner melhoram o desempenho dos funcionários em até 22% e a retenção de talentos em 24%. A receita tem aumento de até 7% e os reflexos em relação aos lucros são em média de 9%.

 

Habilidades e atribuições

Cada organização emprega seu próprio modelo. Na maioria delas, no entanto, o BP é um profissional generalista e experiente. Além disso, conhece o negócio e é capaz de entender de vários assuntos.

“Deve ser um profissional com ampla visão sobre as políticas, os processos, técnicas e metodologias que sustentam as práticas de RH. Empreendedor, criativo, comunicação fluente e conhecimento do negócio”, afirma a gerente de consultoria interna do Bradesco, Aparecida de Fátima Russini.

Entre as atividades estão alinhar os processos de gestão de RH com as necessidades de mercado e dos líderes. Além de manter o equilíbrio entre gestores de cada departamento.

“Esse profissional está conquistando espaço e confiança dos clientes. Isso tem colaborado para que possa atuar de forma mais efetiva em todas as ações de gestão do capital humano. Contribuição significativa para colocar em prática planos e projetos e, principalmente, na capacitação da equipe, contribuindo para o alcance de resultados”, explica Aparecida de Fátima.

Ilustração de executiva

Como o Business Partner ajuda em um RH mais estratégico?

O trabalho e a função do Business Partner tem evoluído nas últimas décadas. Atualmente, a maioria das grandes corporações possui a função em seu quadro de funcionários.

Para a gestão de pessoas essa é uma boa notícia. O BP é um ótimo aliado e auxilia setores de RH e T&D nas seguintes conquistas:

  • Agrega o conceito de intelligence a gestão de pessoas ao utilizar dados para o investimento estratégico em soluções de aprendizagem.
  • Aproxima o RH de gerentes, diretores e líderes na identificação de gaps dos colaboradores. E ao propor ao setor que apresente as melhores alternativas para suplementar essas habilidades.
  • Instiga o desenvolvimento de uma visão de presente e de futuro. Ao avaliar os cenários existentes projetam como os colaboradores podem auxiliar nos objetivos da companhia.
  • Posiciona o RH como canal de diálogo, como mediador, entre os diferentes departamentos na definição de objetivos e projetos.
  • Auxilia no desenvolvimento de projetos com valor e significado aos colaboradores e que gerem resultados para a organização.
  • Ao analisar cenários de diferentes setores pode aproximar o RH e T&D de outras áreas da companhia, o que é essencial especialmente em períodos de crise.
  • Ao analisar as ações de T&D, de acordo com a estratégia do negócio, ajuda na escolha de práticas inovadoras. Essa medida pode aumentar o engajamento dos colaboradores.

Quando o RH atua como BP

Gif de empresário mirando o futuro

As companhias contam com o BP para auxiliá-las a inovar e a competir de forma eficiente. Esperam que se envolva e participe nas intervenções da empresa e auxilie a aprimorar o desempenho individual, gerencial e organizacional das corporações.

Na maioria delas a função geralmente é desempenhada por profissionais com os maiores cargos no setor de recursos humanos, que fazem a ponte entre a gestão de pessoas e executivos e líderes seniores da corporação.

Esse contato permite desenvolver uma agenda conjunta com diferentes áreas e que esteja integrada aos objetivos estratégicos da empresa. Facilita ainda o bom andamento da rotina corporativa, uma vez que esse profissional está conectado com a alta liderança e demais líderes da empresa.

Para que um profissional de Recursos Humanos se transforme em um Business Partner são necessárias importantes mudanças de postura e o desenvolvimento de novas competências. Entre os requisitos mais importantes estão:

  • Foco estratégico – Pensar e agir proativamente, abandonar a atuação passiva, apenas no backoffice, e atuar como um agente de mudança e interação. Gastar pelo menos 30% de seu tempo em atividades que sejam ligadas a estratégia da empresa.
  • Habilidades – Usar dados para tomar qualquer decisão importante, não agindo apenas pelo feeling. Buscar negócios rentáveis para a empresa de forma espontânea. Contribuir com informações e sugestões em suas conversas com a alta liderança.
  • Accountability – O profissional deve possui forte credibilidade junto aos líderes de negócio. Deve se responsabilizar pelos resultados da empresa.

Cinco desafios do Business Partner

De acordo com Dave Ulrich, há alguns cuidados que o BP deve ter para gerar resultado nas companhias. Entre eles estão:

  1. Realizar. Mais do que desenvolver planos, o BP deve ser capaz de colocá-los em prática. E ainda, definir as ações organizacionais necessárias para que se concretizem.
  1. Gerar Satisfação. Atender plenamente os diversos públicos de uma organização, investidores, consumidores e funcionários, para gerar um equilíbrio empresarial.
  1. Planejar. Promover um planejamento integrado para alinhar o plano de RH ao empresarial, buscando sempre resultados que privilegiem o todo.
  1. Prever riscos. Mais do que simplesmente mapear fatores de riscos, o BP deve checar o impacto de ações isoladas na estratégia organizacional.
  1. Capacitar. Montar uma equipe qualificada para disseminar as estratégicas que serão aplicadas na empresa. Isso é essencial para o sucesso do projeto e das ações de um Business Partner.

 

Sua corporação já conta com um Business Partner? Sabe como ele atua em conjunto com outros profissionais de RH? Não deixe de assistir na nossa seção de vídeos o material que preparamos e que explica o papel de cada um na educação corporativa. Temos também na nossa seção de Infográficos um material sobre “O que se espera de um Business Partner”. Confere lá.

Se você gostou desse artigo e gostaria de saber mais sobre as novidades em T&D nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook, YouTube Linkedin.

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar